CIRSAN-LBA

2. Objetivos e Metas


      O projeto CIRSAN realizou uma campanha de medidas intensivas na região de Santarém para caracterizar o impacto das heterogeneidades de superfície nas circulações locais e na formação de nebulosidade. Esta campanha ocorreu entre os dias 12 de julho e 16 de agosto de 2001.

Figura 1 - Imagem de satélite no visível com resolução total. Imagem passou por tratamento para realçar as ruas de nuvens cumulus. Destaca-se o rio Tapajós (norte sul no centro) perpendicular ao rio Amazonas (leste oeste).

 

Na Figura 1 pode-se notar que nas primeiras horas da manhã (horal local é 09:15) já se configura uma marcante relação entre o campo de cumulus rasos e o tipo de superfície, principalmente separando terra e água. A Figura 2 mostra a topografia e a vegetação para uma área próxima à confluência dos rios Amazonas e Tapajós. Trabalhos realizados em outras regiões (Andre et al, 1989, Blyth et al, 1994; Silva Dias et al, 2000) mostram que cumulus rasos durante a estação chuvosa tendem a se formar primeiramente e/ou preferencialmente sobre floresta quando comparado com pastagem, tendo também maior vigor. Na estação seca, a preferência da formação de cumulus rasos é sobre regiões desmatadas (Cutrim et al, 1996, Avissar et al., 2000). A pequena elevação do tipo platô na margem direita do Tapajós também parece aumentar o vigor dos cumulus rasos numa associação do efeito brisa de lacustre com o atrito provocado pela topografia.


Figura 2 - Topografia e vegetação na confluência dos rios Amazonas e Tapajós. No mapa de vegetação verde é floresta , marrom é área pastagem.

     Para entender a relação entre fluxos de energia, água e carbono medidos nas torres e as medidas integradoras feitas com avião é preciso entender como se formam as circulações locais nessa região e ser capaz de simulá-las adequadamente com modelos numéricos de alta resolução. A formação de nuvens cumulus resultante dessas circulações eleva a altura até a qual são transportados o calor a água e os gases-traço. Para integrar todos esses aspectos é necessário ter uma simulação adequada tanto da sua extensão vertical dos movimentos ascendentes que partem da superfície como do seu ciclo de vida. O objetivo é colher dados relativos a perfis verticais das variáveis meteorológicas observadas através de balões piloto e radiossondagens, em regime de campanha intensiva, para calibrar as simulações numéricas do fenômeno brisa lacustre lacustre e circulações entre floresta e pastagem nas proximidades de Santarém. Outros projetos em andamento na região fornecerão medidas de fluxos de superfície, medidas de gases traço e monitoramento da camada de mistura. As simulações numéricas calibradas com estas medidas permitirão analisar a relação entre as medidas de superfície e as características regionais em escalas maiores.

 

<< VOLTAR
1. Caracterização do problema